Ilha Maurício: dicas da Camila (15 meses) e dos seus pais.

Posted on 06/06/2010

29



Neste período de Copa do Mundo só se fala da África do Sul, mas bem ali do lado, a 4h de vôo direto de Johannesburg, existe a “Pérola do Oceano Índico”, uma ilha que vale muito a pena visitar: a Ilha Maurício. A Ilha Maurício, Maurícia ou Mauritius é, na verdade, um país cuja capital se chama Port Louis. Normalmente, trata-se de um destino procurado por casais em Lua de Mel, mas também por famílias européias em busca de calor! Aqui, o mar é azul turquesa, a água é quentinha e a paisagem, de cartão postal!

Esta família viajou diretamente de Paris, mas para nós, brasileiros, o avião passa pela África do Sul, com escala em Johannesburg. Para quem já vai para a África para a Copa, esta “esticada” vale menos de US$ 700 ida e volta, e pode ser uma boa escolha para desligar-se do mundo e conhecer um lugar exótico com excelente estrutura hoteleira.

A família ficou 1 semana e adorou

O Hotel Casuarina situado no Trou aux Biches a 18Km da capital: um lugar paradisíaco da ilha, com uma longa praia de areia branca e mar azul super cristalino. Mas isso é redundante por aqui!

Um Hotel 3 estrelas com meia-pensão, bastante confortável, charmoso em uma construção em estilo arabesco e de frente para a praia. A família optou por ficar em um pequeno bangalô, mais confortável e com kitchinette, prática para lavar a mamadeira, esquentar o leite do bebê; porém existem também apartamentos mais em conta, e todos com ar condicionado.

O Hotel ainda conta com piscinas, um Clubinho para crianças a partir de 3 anos e um SPA para os pais. Tudo de bom!

E como todos os hotéis ali da região, ainda tem kaiak, windsurf, ski náutico à disposição na praia.

Curtir a praia: o mar é lindo, azul da cor do céu! Só tomem cuidado com restinhos de corais na beira da praia, por isso, antes de ir para a água, é melhor colocar sapatos nas crianças, tipo melissa ou havaianas.

Praia em frente ao Hotel…paisagem de cartão postal!

Comendo areia enquanto Mamãe tira a foto…!

Fazer um passeio de barco com fundo transparente: passeio imperdível para ver todos os peixinhos coloridos! Um passeio de 1h30 que deixa as crianças menores muito empolgadas! Para as maiores, vale à pena mergulhar com com máscara e snorkel para ver os peixes bem de perto! Esse passeio pode ser reservado na praia mesmo, onde existem várias ofertas.

Conhecer as tartarugas gigantes no Jardin Pamplemousse: um mini Jardim Botânico cheio de árvores e plantas tropicais, um lindo lago cheio de nenúfares, cisnes,…para quem vem do Brasil, esta é uma paisagem meio habitual, mas o que vai surpreender mesmo é o canto das tartarugas gigantes, espécie nativa da região: de Maurício, Madagascar, Seychelles. São tartarugas gigantes, com mais de 1m de altura e 200Kg, capazes de carregar uma criança, mas melhor mesmo é vê-las com os olhos! Até porque são bastante impressionantes!

Jardim Botânico de Pamplemousse

Lago com nenúfares

Tartarugas gigantes

Visitar uma Fábrica de chá, em Bois Chéri: onde se pode aprender as diferentes etapas do processo de fabricação do chá e, após a visita, fazer uma degustação de chá, sendo que o de baunilha realmente é especial!

Conhecer Port Louis, a capital, e o seu mercado exótico: um mercado com produtos variados, frutas, especiarias, peixes, carnes. Uma mistura de cheiros e cores. Aqui, vão poder perceber como a cultura da ilha é uma cultura mista, feita de indianos, imigrantes africanos, malgaxes (de Madagascar, ilha ao lado) e chineses. Vale a pena comprar para trazer de lembrança: bolsas e cestos de palha, favas de baunilha (para fazer bolos, colocar no açúcar), chá de baunilha, rum… 

Comprar camisetas com DODÔ: para mostrar para os amiguinhos a aparência deste pássaro já extinto. O Dodô era o maior pássaro que existia na Terra, e não voava. Por isso ele se tornou uma caça fácil e hoje, ele não existe mais. Ele é um dos símbolos da ilha e vocês o encontrarão de todos os tamanhos, em vários lugares ou estampados nas camisetas.

“Conhecendo” o Dodô

Com crianças maiores, aproveitem também para fazer o passeio de um dia inteiro de táxi, conhecendo os principais pontos da Ilha: os hotéis sempre têm motoristas para recomendar, e não esqueçam de combinar o preço antes.

Como a Camila era pequena, a família optou por não fazer estes dois passeios, e preferiram descansar e curtir a praia, mas não podemos deixar de recomendá-los se viajarem com crianças:

Ver mais tartarugas, crocodilos, insetos e borboletas no La Vanille Réserve des Mascareignes: este parque no Sul da ilha tem mais de 1.000 tartarugas, 2.000 crocodillos, 20.000 espécies de insetos e borboletas. Programem-se para passar o dia inteiro, pois há muita coisa para ver e vocês podem almoçar por lá mesmo, pois tem restaurante, parquinho

Aqui, é permitido se aproximar das tartarugas gigantes

Outro parque imperdível é o Casela: onde a grande atração é se aproximar e tirar fotos com os felinos (para crianças acima de 1,50m)! Se forem menores do que isso, é possível ver outros animais e até alimentá-los na fazendinha. Além disso, ainda podem fazer um “foto-safari” em uma combi ou jeep protegido e ver zebras, avestruzes…uma forma de lembrar que estão na África!

Foto do Site, que mostra a grande atração que as crianças adoram: aproximar-se e tirar fotos com os felinos!

 

A família gostou menos:  

Eles chegaram a experimentar um ônibus, mas acharam a maneira de dirigir meio radical! Portanto, melhor mesmo é pegar táxi para circular de um lado para o outro.

A noite cai rápido (estamos no hemisfério sul!), portanto as lojas também fecham cedo. Fiquem atentos se quiserem sair da praia, tomar um banho e passear para ver as lojas.

A família também achou os preços em geral um pouco « salgados », mas isso é normal, por tratar-se de uma ilha (onde tudo é sempre mais caro, por ser mais difícil de se abastecer!)

Outras observações:  

A Ilha Maurício foi uma antiga colônia holandesa, francesa e inglesa, por isso a língua oficial é o inglês, bastante falado pela população de origem indiana, mas eles também falam francês e crioulo, uma língua local, parecido com uma mistura de africano com francês.

Não vale à pena alugar um carro: primeiro que a mão é inglesa e, realmente, não se necessita de carro. É mais prático pegar os táxis.

Experimentem as “samoussas”, espécie de pastel indiano, e “mins-frits”, tipo um macarrão frito, mas como Maurício tem uma influência indiana muito forte, cuidado com as crianças, pois a comida é BASTANTE picante! Para elas, melhor pedir “without spice or garlic“.

Esta família levou fraldas e potinhos desde a França, mas perto do Hotel, acharam um supermercado com isso tudo, portanto, não é necessário se carregar, mesmo sendo um pouco mais caro.

E saibam que os habitantes da ilha adoram crianças, eles as pegam imediatamente no colo, dão beijo, são super calorosos.

Não esqueçam de levar na mala : tudo para a praia, bóia, máscara e snorkel, protetor solar, chapéu, repelente…

E, última recomendação: tomar a vacina contra a Febre Amarela, pelo menos 10 dias antes da viagem.

 

Viagem feita em Novembro de 2006: sol, com alguns aguaceiros rápidos.

 

Para maiores informações: 

Sobre a Ilha Maurício: www.mauritius.net

Hotel Casuarina: aqui

O Jardin Pamplemousse (somente em francês): aqui

Fábrica de chá, em Bois Chéri (somente em francês): aqui

Parque La Vanille Réserve des Mascaraignes (em inglês): aqui

Parque Casela (em inglês): aqui

Venha curtir o VP no Facebook: Viajando Com Pimpolhos

Compartilhar dicas no nosso grupo do Facebook de Viagens em Família

e seguir o VP no twitter: @viagempimpolhos

 

Gostou desta viagem? Não esqueça de dar a sua opinião, clicando nas estrelinhas abaixo, para rankeá-la! 😉

Posted in: Ilhas Maurício